coronaaaa.jpg




"E daí?" 
"Não há motivo pra pânico".
" A questão do Covid-19 é uma fantasia" 
"Outros vírus mataram muito mais que esse "  "eu não sou coveiro" 
Frases de um Presidente genocida, desumano e que já es encontra com sintomas da covid-19. 
Pois é Presidente ... A Gripezinha chegou no Senhor... Taokey ! 
#Psol
#PsolBahia
#ForaBolsonaro

PSOL pede que STF inclua no inquérito das Fake News as 73 contas ligadas a bolsonaristas bloqueadas pelo Facebook

A bancada do PSOL protocolou na noite desta quarta-feira (8) uma petição endereçada ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes para solicitar que as novas informações divulgadas pelo Facebook, ao remover 73 contas falsas ligadas a integrantes do gabinete de Jair Bolsonaro, seus filhos e aliados, sejam juntadas ao Inquérito nº 4.781, o chamado Inquérito das Fake News, que tramita no STF.

“Dada a gravidade dos fatos, solicitamos busca e apreensão de todas as provas e indícios nas investigações em curso que envolvam os fatos narrados na presente petição, nos termos do Código de Processo Penal (art. 282), com a urgência que se faz necessária, diante da possibilidade de ocultamento e destruição de provas”, afirma o documento ao pedir também que ações sejam tomadas para que as provas não sejam destruídas.

O Facebook, por meio de nota, afirmou que “ainda que as pessoas por trás dessa atividade tentassem ocultar suas identidades e coordenação, nossa investigação encontrou ligações a pessoas associadas ao Partido Social Liberal (PSL) e a alguns dos funcionários nos gabinetes de Anderson Moraes, Alana Passos, Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Jair Bolsonaro”.

Entre outras informações, reportagem da Folha de S. Paulo sobre o tema informa que foram removidas 35 contas do Facebook e 38 do Instagram que, segundo a empresa, atuaram para manipular o uso da plataforma antes e durante o mandato de Bolsonaro.

Cerca de 883 mil contas seguiam uma ou mais dessas Páginas no Facebook, outras 350 pessoas se juntaram ao grupo, e cerca de 917 mil pessoas seguiam uma ou mais dessas contas no Instagram.

PSOL aciona STF para suspender portaria que obriga que estados e municípios façam Reforma da Previdência aos moldes da federal.

O PSOL apresentou ontem (2) uma ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender liminarmente a portaria 1.348/2019 do governo federal. 

A medida determinou que Estados, Distrito Federal e municípios regulamentem em âmbito local a Reforma da Previdência no mesmo modelo da União até o dia 31 de julho, caso contrário podem perder acesso a recursos federais. O partido argumenta que a portaria é inconstitucional por desrespeitar a capacidade e autonomia legislativa dos entes federados de definir o seu próprio regime previdenciário, de acordo com suas realidades.

A reforma criada pela Emenda Constitucional (EC) 103/2019 estabeleceu regras gerais provisórias a serem cumpridas pelos estados e municípios até a aprovação de lei complementar que regule os regimes próprios. Entre elas estipulou prazo de dois anos para a instituição do regime de previdência complementar e para unificação dos órgãos e entidades gestores em cada ente federado. Para as demais previdências não foi determinado prazo.

No entanto, em dezembro do ano passado, por meio da Portaria 1.348, o Ministério da Economia exigiu prazo de seis meses, que termina no próximo dia 31, para estados e municípios tomarem várias providências. Entre elas estão: aumentar suas alíquotas e comprovar vigência de norma que transfira do RPPS (Regime Próprio de Previdência Social) para o ente federado a responsabilidade pelo pagamento de benefícios de incapacidade temporária para o trabalho, salário-maternidade, salário-família e auxílio-reclusão. Além disso, estabeleceu que, caso implementem alíquotas progressivas, deverão reproduzir integralmente aquelas aplicadas pela União.

Ou seja, a Portaria anulou a “possibilidade de o ente federado organizar as faixas progressivas de contribuição de forma distinta, bem como de se regular dentro das diretrizes fixadas, provisoriamente, pelo art. 9º da EC nº 103/2019, e, futuramente, na legislação complementar”, afirma a ADPF.

Em razão disso, estados estão sendo obrigados a aprovar às pressas e sem debate adequado suas legislações previdenciárias. Este é o caso do Distrito Federal, onde a Câmara Legislativa convocou, para o dia 30 de junho, sessão extraordinária para discutir projeto de lei que eleva a alíquota dos servidores públicos e institui a contribuição para servidores inativos, atualmente restrita ao valor que excede o teto do INSS. A proposta poderá resultar em perda para aposentados de mais de R$ 600,00, isto é, cerca de 10% do teto do RGPS. Já em Minas Gerais tramita proposta que pode elevar a alíquota dos atuais 13,97% para até 19% a quem ganha acima do teto do RGPS. Isso significa uma perda remuneratória de cerca de R$ 300,00.

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
EXECUTIVA  ESTADUAL DA BAHIA

SSA-BAHIA

 (71) 99126-2455 / 71 9212 -9755

  psolbahia50@gmail.com